sexta-feira, 14 de agosto de 2009

O meu verdadeiro ser...


Por mais gritos que dê, por mais que tente ser aquele ser tão perfeito quanto me julgas, não sou assim, percebo isso a cada dia que passa, que gritas socorro e que não oiço, que gritas que me amas e que eu estupidamente pego por algo que não é isso que me queres dizer... Energume é cada vez mais o que sinto ser, pois o ser tão perfeito e bom que sempre disse ser, não é mais do que algo que imagino ser, mas que na realidade nem perto estou... Gritos de dor, gritos de revolta, cansado de ser assim, detalhadamente pormenorizado e sem nexo... Libertando raiva por todos os poros, por causa de um medo que no fundo não tem razão de ser... Apenas sinto fugir dentro de mim, algo que no minimo me está a levar à loucura de um ser completamente inundado de medo... Medo de perder algo que é meu desde o dia em que um dia a minha alma apareceu, mas mesmo assim, eu tenho medo, inseguro de mim, e quanto mais inseguro me sinto, mas medo eu tenho de não ser perfeito... Percebi hoje ao falar de alguém, que ali estava o meu receio, o meu problema... Julgando sempre ser capaz de os resolver, afinal não sou mais do que um nada abaixo que aparece sempre julgando ser o salvador, mas que nem a ele consegue perceber... Indefinido por natureza é o meu ser... Valente, é a imagem que passa, dentro, não sou mais do que uma pessoa que tem receio de tudo e todos... Nada melhor do que aproveitar hoje, para poder deitar cá para fora a realidade do meu ser... Bravura de fazer sempre asneiras quando nos pedem apenas um carinho... Louco de burrice, porque a tecla parece que está encravada e a unica coisa que sai é "sempre a mesma coisa"... Uma pessoa que cansa as outras, especialmente as que me querem bem, porque se descarrega sempre em cima delas... Vendo fugir, dentro de mim, a alma que tanto tempo demorei a encontrar, mas que mesmo assim, ainda sorri para mim, como se fosse um ser perfeito... Apenas consigo dizer, não fujas, liberta-me do meu ser ignorante, mesmo que me abandones, apenas te peço, que nas minha piores horas me consigas dizer, pelo menos olá... Nunca tinha desejado tanto que alguém fosse feliz, mesmo que não fosse comigo, sim, com isso descobri o que é o amor de verdade, que é a libertação de algo que gostamos e que se ficar é porque é realmente nosso... Isso, agora entendo... Mas o meu ser, faz exactamente o contrario e parece que te leva para longe de mim... Poderei um dia dizer, eu amo de verdade um ser perfeitamente imperfeito, mesmo que esse ser não esteja do meu lado... Tu, minha Deusa, és o meu verdadeiro amor, por quem sempre lutei, mesmo não conhecendo realmente... Recebe o meu amor, mesmo que não me queiras como ser, pois apenas sabendo que o meu amor, por ti é recebido, que poderei dizer sou eternamente feliz... Longe de tudo e de todos, é como o meu ser, Burro, merece estar, pois não sei dar aquilo que julgo ser a felicidade, apenas retiro toda ela com as minha palavras que não deviam existir...

1 comentário:

PQNA disse...

lindo texto, as palavras só existem por que houve um pensamento ou um sentimento...
parabens,
bjs